Parceiros

Fernanda Mandagará

Fernanda MandagaráBacharel em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Com a Cia. dos Outros produziu Corra como um coelho, A pior banda do mundo e Solos Impossíveis. Atuou em: Sweetness & Light, direção de Luke Dixon (Colchester, Inglaterra) em 2012; Curta Passagem, texto e direção de Mário Bortolotto em 2009 e 2010; Margaridas Enlatadas, de Caio Fernando Abreu, da CIA Teatro Enlatado, temporada no Espaço Parlapatões em 2010, participante do 15o Porto Alegre em Cena; Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, direção de Rodolfo García Vásquez – Grupo Os Satyros, São Paulo, 2008; As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant, de Rainer Fassbinder, direção Airton de Oliveira, Porto Alegre, 2007; Roberto Zucco, de Marie-Bernard Koltès, direção de Felipe Vieira, Porto Alegre, 2006/2007 – Indicada ao prêmio Açorianos 2007 de melhor atriz coadjuvante. Em 2010 foi assistente de produção no espetáculo Corra Como um Coelho, da Cia dos Outros no projeto de circulação Miriam Muniz em diversas cidades do Brasil e atualmente é produtora do espetáculo da Cia A Pior Banda do Mundo, contemplada com Miriam Muniz montagem inédita. Atuou ainda como preparadora corporal do Espetáculo Forgive Me for your Betrayal, montagem do curso de World Performance da Universidade de Essex (Inglaterra) com direção de Ramiro Silveira em 2012. Uma das fundadoras da Cia Teatro Enlatado, é atriz e produtora na Intervenção Teatral Drive-Thru, atualmente em circulação por alguns SESCs de São Paulo.

Miguel Caldas

Miguel CaldasÉ músico e trabalha com sonoplastia e trilha sonora para teatro e artes visuais. Com a Cia. dos Outros criou o som para A pior banda do mundo e Solos Impossíveis. Começou sua carreira como assistente de direção musical no espetáculo “Kastelo” do Teatro da Vertigem e, no mesmo ano, assumiu a direção musical do “Ciclo de leituras de Novos Diretores” realizado pelo grupo; desde então integra o Teatro da Vertigem como pesquisador, criador e operador de áudio. Trabalhou em diversas intervenções do grupo e foi responsável pelo desenho e operação de som de Bom Retiro 958 metros. Trabalhou com a Cia. Livre de Teatro como operador de trilha sonora no evento “Cia. Livre 10 anos” e integrou o processo aberto “Objeto conferência para inventário inacabado” como diretor musical e criador de sonoplastia em tempo real. Criou o som de Uma história radicalmente condensada da era pós indutrial, de Amanda Lyra e de Reverie, solo da bailarina Morena Nascimento, criado em parceria com Carolina Bianchi.